003 LATERAL BIO ERVAS004 LATERAL MARIA ROSA MODAS
005 LATERAL BRUQUE BARBEARIA006 LATERAL BRUQUE BARBEARIA
009 LATERAL ALIMENTOS MANDELA010 LATERAL ALIMENTOS MANDELA
013 LATERAL CIDINHU'S BRINQUEDOS014 LATERAL SP COMBUSTIVEÍS
017 LATERAL AD TINTAS 09-04-2019 A 10-04018 LATERAL GRANDE GRANA SOM
021 LATERAL FAMA ESPORTE022 LATERAL FAMA ESPORTE
027 LATERAL LAGO AZUL028 LATERAL LAGO AZUL
029 LATERAL GRANDE EXPO GOIO 2019030 LATERAL GRANDE PREFEITURA DENGUE
A+ A-
Imprimir matéria

18/03/2019 [07h41]

Cofundador do Whatsapp incentiva jovens a excluir o Facebook

Empresário critica modelos de negócios de gigantes da tecnologia, que priorizar os lucros em detrimento da privacidade dos usuários
Cofundador do Whatsapp incentiva jovens a excluir o Facebook O cofundador do WhatsApp, Brian Acton, defendeu sua decisão de vender sua empresa para o Facebook por US$ 19 bilhões e incentivou estudantes a deletar suas contas da rede social em uma de suas poucas aparições públicas. O evento que abordou temas relacionadoa à tecnologia ocorrreu, na quarta-feira (13), a Universidade de Stanford. As informações são do Buzz Feed News.

Um dos palestrantes da Computer Science 181, uma turma de graduação focada no impacto social e em responsabilidades de empresas de tecnologia, Acton, de 47 anos, explicou os princípios por trás da fundação do WhatsApp e os motivos que o levaram a vender o Facebook, em 2014.

Ele criticou os modelos de lucro que impulsionam os gigantes da tecnologia, como Facebook e Google, bem como o funcionamento do Vale do Silício no qual os empresários são pressionados a buscar capital de risco e grandes alternativas para satisfazer funcionários e acionistas.

Acton já havia comentado publicamente sobre a deterioração de seu relacionamento com a rede social e seu CEO, Mark Zuckerberg. "Eu vendi a privacidade dos meus usuários para um benefício maior", disse Acton à Forbes em setembro. Na obra, Acton descreveu como o Facebook definiu metas para o WhatsApp atingir uma taxa de receita de US$ 10 bilhões em cinco anos de geração de receita com anúncios e oferecendo às empresas formas de comunicação direta com os usuários.

Apesar de vender o WhatsApp em um acordo que o tornou bilionário, os sentimentos negativos de Acton sobre o Facebook são conhecidos. Ele deixou a empresa em novembro de 2017, depois de mais de três anos, em função de divergências sobre a introdução de anúncios na plataforma de mensagens.

Embora durante a palestra em Standford, Acton não tenha detalhado como Zuckerberg para gerar receita com o WhatsApp, ele falou criticamente sobre modelos de negócios que incentivam as empresas a priorizar os lucros em detrimento da privacidade das pessoas.

"O motivo de lucro capitalista, ou responder a Wall Street, é o que está impulsionando a expansão da invasão de privacidade de dados e impulsionando a expansão de resultados negativos com os quais não estamos satisfeitos", disse. “Gostaria que houvesse maneiras de controlá-lo."

Razões para a venda do Whatsapp

Ao vender o aplicativo para o Facebook, Acton disse que tinha certa ingenuidade na época. Segundo ele, chegou a pensar que poderia continuar com a receita da empresa da forma como imaginava.

Ele afirmou que pressionou por um modelo de serviço, cobrando dos usuários do WhatsApp uma pequena taxa para usar o aplicativo, como fez a empresa em seus primeiros dias, para combater os anúncios.

Em vez de sugar os dados do usuário para ajudar os anunciantes a segmentar anúncios, Acton esperava um modelo de serviço que pudesse alinhar seus interesses e a necessidade de privacidade e segurança dos usuários.

"O modelo de negócios do WhatsApp era: daremos a você um serviço por um ano por um dólar", disse. “Não foi extraordinariamente lucrativo, e se você tem um bilhão de usuários, você terá US $ 1 bilhão em receita por ano. Não é isso que o Google e o Facebook querem. Eles querem multi bilhões de dólares.”

Ele afirmou não invejar Zuckerberg, mas se referiu ao que chama de função do CEO do Facebook de "policiar o comportamento das pessoas na rede social como uma batalha perdida". "Há mais valor para proteger os inocentes do mundo do que os criminosos", explicou Acton, referindo-se aos usuários em países opressivos que dependem da criptografia para segurança.

“Para ser brutalmente honesto, as redes abertas lutam para decidir o que é discurso de ódio e o que não é discurso de ódio. E nós damos a eles o poder", afirmou. “Essa é a parte ruim. Nós compramos seus produtos. Nós nos inscrevemos nesses sites. Excluir o Facebook, certo?

Fonte: r7.com / Por: R7, com informações do BuzzFeed News / Foto: Pixbay

Comentários

Outras matérias

001 LATERAL FORNETTO PIZZARIA002 LATERAL FARMÁCIA LÍDER MAIS
008 LATERAL MOVEIS OESTE007 MOVEIS OESTE 001 LATERAL PEQUENO
012 LATERAL LOJA NEW OLD 08-02-2019011 LATERAL LOJA NEW OLD 08-02-2019
015 NOSSO CHOPP016 LATERAL GRANDE 100% MOTOS
019 LATERAL SPEED JET 15-06-2019020 LATERAL MARCENARIA PAULIQUI
023 LATERAL ANUNCIE AQUI PEQUENO024 LATERAL ANUNCIE AQUI PEQUENO
025 LATERAL ESCRITORIO026 LATERAL ESCRITORIO
031 LATERAL CIRURGIÃ DENTISTA VANESSA STOCCO031 LATERAL WARLEY RELOGIOS

Próximas datas comemorativas

19/07 - Dia da Caridade

20/07 - Dia do Amigo e Internacional da Amizade

MoreiraNet.com

Avenida João Adamo, 912, centro - Moreira Sales - Paraná

CEP: 87.370-000

 

Contatos:

Telefone (fixo): (44) 3838-8080

Telefone (celular): (44) 9 9971-7471 - Badô

Telefone (celular): (44) 9 9901-2910 - Lorena


E-mail: eaduartecontato@hotmail.com  

 

Redes Sociais

Facebook:

www.facebook.com/moreiranet

You Tube: 

www.youtube.com/moreiranet

Instagran:

www.instagran.com/moreiranet6

WhatshApp:

Grupos 01, 02, 03, 04 e 05. 

                                                                    

 Direção Geral: 

E.A. DUARTE PRODUÇÕES - ME

https://www.facebook.com/eaduarteproducoes/ [LOGO] MoreiraNet.com
MoreiraNet.com © 2018-2019 / Todos os Direitos Reservados / E.A. Duarte Produções-ME / Moreira Sales - Paraná